calcular capital de giro

Saiba como calcular o capital de giro!

Saiba como calcular o capital de giro!
5 (100%) 12 votes

Um dos maiores desafios para abrir uma empresa é conseguir o capital de giro necessário para iniciar as atividades no mercado. No atual momento, a principal dúvida que surge é: como calcular capital de giro da maneira correta?

Entre atendimento, bons produtos e preços atrativos, o capital é um elemento que também impacta as chances de sucesso de um negócio. Fundamental para que tudo funcione como esperado, merece uma atenção mais do que especial.

Para lidar com ele da foma acertada, seu cálculo é uma das etapas mais relevantes. Assim, é possível saber qual é a necessidade do empreendimento de maneira completa.

Veja a seguir como acertar no cálculo!

O que é capital de giro?

capital de giro corresponde ao valor que o negócio necessita para operar normalmente. Em outras palavras, é a representação de quanto custa financiar todas as operações de um empreendimento.

O capital de giro diz respeito à estrutura do seu negócio, por exemplo, os equipamentos, o imóvel, máquinas, mobílias etc. E isso também vale para as lojas virtuais, pois custos necessário para o bom desenvolvimento do negócio sempre existirão.

Suas características incluem a grande liquidez e a capacidade de renovação. Ou seja, é como se fosse uma fonte de recursos para a sua empresa usar quando mais precisar, sem ficar na mão.

Grosso modo, ele também pode ser visto como uma reserva financeira, a qual ajudará a manter o negócio funcionando sem precisar colocar em risco o orçamento da instituição.

Por que é importante saber como calcular o capital de giro corretamente?

Já pela definição, compreende-se a importância desse elemento. É graças a ele que o seu negócio, especialmente se for pequeno e/ou se estiver começando agora, vai conseguir se manter no mercado até deslanchar.

Quer ver? É muito comum que os clientes comprem a prazo, mas o pagamento dos fornecedores é feito à vista. Com isso, deve-se ter capital de giro para cumprir com as suas obrigações e não ficar inadimplente.

Um cálculo correto, portanto, permite que a gestão saiba de quanto dinheiro tem que dispor para financiar todas as operações. Porém, ele também é necessário para evitar que o resultado seja superdimensionado.

Se o capital de giro for grande demais, o estabelecimento imobiliza uma intensa quantidade de dinheiro, tornando-se menos dinâmico para aproveitar oportunidades sazonais.

Em resumo, o valor do seu capital de giro deverá ser capaz de arcar com os compromissos da empresa e adquirir novas matérias-primas. Caso ele não esteja incluído na sua conta, a empresa pode ficar endividada e, ao mesmo tempo, corre o risco de “fechar as portas” antes de chegar em seu período de maturação.

Como fazer o cálculo?

O cálculo da quantia tem por base ativos e passivos circulantes. Os ativos circulantes correspondem aos valores como fundo de caixa, contas a receber e, também, ao capital relacionado ao estoque.

Já os passivos circulantes são os valores que saem ou que sairão do negócio. Entre eles, estão os pagamentos de financiamentos, as despesas fixas e as com fornecedores. Assim, o capital de giro é dado por:

Capital de giro = Ativos circulantes – Passivos circulantes

Se há R$ 20 mil de ativos circulantes e R$ 5 mil de passivos, então o capital de giro é de R$ 15 mil. Assim, o negócio precisa da quantia para se manter com tranquilidade durante o mês.

Note, também, que quanto maior for o estoque, maior tende a ser a necessidade de capital de giro.

Como obter capital de giro?

Uma das grandes dúvidas dos empreendedores é como fazer para obter o capital de giro. Cortar gastos para gerar economia e obter, assim, uma reserva financeira é uma possibilidade, mas nem sempre é efetiva.

Com isso, muitos recorrem a opções como financiamentos especiais em instituições monetárias. Embora possa resolver o problema, os juros talvez comprometam as finanças e tornem tudo mais difícil nos próximos meses.

Já a antecipação de recebíveis é uma maneira prática de conseguir o montante necessário para o seu estabelecimento. Com a empresa certa de factoring, a burocracia pode ser fortemente reduzida, e você pode receber à vista o valor das suas vendas feitas à prazo – e usar o montante conforme sua necessidade, sem se preocupar em devolver o valor posteriormente.

O que é capital de giro líquido?

O capital de giro líquido (CGL) diz respeito ao valor que a organização necessita ter para conseguir manter seus compromissos de curto prazo em dia e agir rapidamente para solucionar imprevistos financeiros.

Assim como o capital de giro, o capital de giro líquido também precisa levar em consideração o ativo e passivo circulante do negócio para então saber qual é a realidade financeira atual da empresa.

O cálculo do CGL é semelhante ao do capital de giro, mas a diferença é que o capital de giro líquido leva em conta o saldo disponível da empresa (dinheiro em caixa e contas bancárias) e os empréstimos realizados.

Trata-se de um ponto muito importante dentro do negócio, pois se o cálculo resultar negativo, é sinal de que o seu acordo comercial está com graves problemas financeiros.

O que é capital de giro próprio?

O capital de giro próprio refere-se a capacidade que a empresa tem em financiar suas operações com seus próprios recursos. Se o resultado do seu cálculo for negativo, significa que será indispensável buscar fundos de terceiros para completar o financiamento.

Para calcular o capital de giro próprio é necessário levar em consideração o seu patrimônio líquido e seus ativos permanentes. Visando um melhor entendimento, explicamos o conceito de cada um deles.

  • ativos permanentes: são representados pelos bens de difícil liquidez do negócio e que são utilizados nas operações, tais como os móveis, equipamentos, veículos e etc;
  • patrimônio líquido: é representado pelos valores efetivos da empresa, tais como investimentos realizados, lucros e reservas de valores.

Portanto o cálculo deve seguir a forma: CGP = PL – AP.

Como eles se relacionam com o capital de giro?

Para que uma empresa possa ter um bom desenvolvimento, ela precisa, no mínimo, manter seus compromissos em dia. A gestão financeira é essencial para conservar a sobrevivência do negócio.

Uma empresa sem capital de giro se torna insustentável, pois enfrentará dificuldades para pagar as suas despesas mais básicas.

Saber exatamente qual é o valor disponível no seu capital garantirá que as decisões tomadas sejam seguras, e de acordo com a estratégia do seu negócio.

Ao analisar seus capitais, você conseguirá ter uma visão mais ampla do acordo comercial, a fim de verificar se os recursos estão sendo bem administrados ou se há falhas que podem comprometer a saúde financeira da empresa.

Se você verificar que há problemas no seu capital, será possível elaborar um planejamento estratégico para solucioná-los.

O que é investimento fixo?

Por ser um conceito muito confundido entre empreendedores, é importante deixar claro que o investimento fixo não é a mesma coisa que capital de giro.

O investimento fixo é a quantia que você aplica no seu negócio para que a instituição comece a funcionar, por exemplo, a aquisição de máquinas e equipamentos.

Trata-se de uma das primeiras etapas do seu planejamento financeiro e estratégico. Mesmo que a sua organização já esteja atuando no mercado há algum tempo, é significativo analisar qual é o investimento fixo.

É importante enfatizar que o esse tipo de investimento não tem liquidez instantânea, por isso é importante que o investimento fixo e o capital de giro estejam equilibrados.

Esse equilíbrio garante que a empresa tenha recursos suficiente para arcar com todos os seus compromissos, até que as receitas geradas sejam suficientes para cobrir as despesas do negócio.

Como fazer uma gestão correta do capital de giro?

A gestão do capital de giro determinará se a sua empresa caminhará para o sucesso ou para o fracasso, por isso ela precisa ser impecável.

Para fazer uma boa gestão financeira, é preciso, primeiramente, incentivar as compras à vista. Apesar de o parcelamento ter se tornado uma grande facilidade para o consumidor, os pagamentos à vista, por outro lado, ajudam a melhorar o controle das suas finanças.

Portanto, ofereça descontos, brindes, serviços grátis, dentre outros benefícios que estimulem o seu cliente a não dividir o pagamento.

Outra dica interessante é aumentar a sua margem de lucro. Fazendo isso, você conseguirá ter um capital de giro maior.

Para aumentar a sua margem, você pode negociar com o fornecedor preços menores em troca de algum benefício, como a divulgação de marcas junto aos seus produtos, por exemplo.

Quais são as causas dos problemas relacionados ao capital de giro?

Existem vários motivos que podem estar relacionados aos problemas de capital de giro, como a diminuição das vendas, aumento das despesas financeiras, dos custos operacionais ou crescimento da inadimplência.

Portanto, é por meio de uma boa gestão que os problemas podem ser identificados e, consequentemente, eliminados.

Com um bom desenvolvimento de um planejamento estratégico, será possível ter maior controle sobre a inadimplência, escolher linhas de créditos acessíveis para melhorar o seu negócio, reduzir custos, aumentar o número de vendas etc.

O capital de giro é a base de qualquer negócio. Ele oferece segurança ao empreendedor para poder arcar com todos os compromissos sem colocar em risco a saúde financeira da empresa.

É essencial saber diferenciar e calcular o seu capital de giro, capital de giro líquido e capital de giro próprio. São eles que definirão se a sua empresa precisa recorrer à linhas de créditos para poder sobreviver.

Depois de saber como calcular capital de giro, é só ficar de olho nessas questões informadas aqui no texto. Se for necessário, recorra até soluções para obter os recursos exigidos e deixar o empreendimento sempre em dia.

Que tal ficar por dentro de todas as dicas e novidades importantes para o seu negócio? É só curtir a nossa página no Facebook e no LinkedIn para se manter sempre atualizado!

rapidoo Saiba como calcular o capital de giro!