Quando um sócio quer acabar com a sociedade.

Quando um sócio quer acabar com a sociedade.
5 (100%) 12 votes

O seu negócio estava indo bem e o seu sócio quis abandonar o barco? Veja como superar o fim de uma sociedade

No início de qualquer sociedade, os sócios costumam imaginar um relacionamento de longo prazo; caso contrário, eles não estariam dispostos a investir seu tempo para dividir seu negócio com outra pessoa.

Infelizmente, apesar das expectativas, a longevidade é, muitas vezes, limitada; os objetivos e expectativas dos sócios vão mudando ao longo do tempo.

É por isso que uma estratégia de saída deve ser desenvolvida por e entre os 2, ou mais, sócios.

Isso garantirá que, se um sócio deixar a empresa, sua ausência não destruirá a integridade e sua capacidade de sobreviver à saída de um sócio.

Repensando a sociedade

Há muitas maneiras de desfazer uma sociedade e muitas razões para isso.

Embora muitas vezes os sócios tenham um desacordo substancial sobre um aspecto material do negócio, esse nem sempre é o caso.

Com o passar do tempo, em uma sociedade, as metas e expectativas das pessoas estão fadadas a mudar.

Criar uma empresa requer uma dosagem de tempo totalmente diferente quando se é solteiro e quando se é casado, por exemplo.

O tempo deve ser dividido para alcançar o sucesso tanto na sua vida pessoal como na sua vida profissional.

Isso não é algo fácil de fazer e, em muitos casos, o sócio com o melhor desempenho comercial é forçado a passar tempo em casa e o negócio é prejudicado.

Se o inverso acontecer, o tempo reduzido em casa para o sucesso nos negócios, o resultado pode ser devastador.

Quando essa dicotomia se torna o problema principal de uma sociedade, a sociedade torna-se tanto o problema quanto a solução.

 

Você gostaria de gerenciar melhor os recebíveis da sua empresa?

Tenha melhor controle na gestão das suas contas à receber, saiba exatamente a data que seus clientes irão lhe pagar através do calendário de recebíveis. Utilize a antecipação de recebíveis para incrementar o fluxo de caixa da sua empresa.

Cadastro Gratuito

Antecipando problemas em uma sociedade

A ideia principal de uma sociedade é antecipar quais problemas podem surgir e preparar a sociedade para estar preparada para ele antes que o problema surja.

Os maiores desafios são os que estão mais próximos de casa, ou seja, problemas dentro da própria sociedade.

O acordo de sociedade é baseado naquilo que cada sócio pode fazer pelo resultado da sociedade, seja ele qual for.

Quando um dos sócios está ausente, essas responsabilidades recaem sobre os ombros do sócio que não se ausentou.

Quando um parceiro morre, os problemas resultantes podem ser devastadores para o negócio. É por isso que as sociedades precisam de uma apólice de seguros nesse caso.

Um seguro dentro de uma sociedade impede que a sociedade seja vendida ou desfeita por conta da morte dos sócios.

A saída de uma sociedade

No caso de um sócio querer sair da sociedade, há várias abordagens que podem ser usadas.

Uma delas é o sócio que sai ter sua posição patrimonial adquirida pelo outro sócio. O único aspecto dessa aquisição que deve ser imutável é a continuação do negócio.

Da mesma forma que proteger um filho do divórcio, o negócio deve ser a prioridade.

Embora haja muitas outras considerações sutis na saída de um parceiro, o pagamento em dinheiro geralmente é o elemento primordial para a dissolução de uma sociedade.

Se a empresa está ganhando dinheiro, a compra de um pequeno percentual do capital não é um problema.

Se, por outro lado, a empresa ainda estiver em período de crescimento e o dinheiro tiver apertado, deve-se considerar cuidadosamente a forma com que o pagamento ao sócio que está saindo será feito.

Em alguns casos, a própria empresa comprará a posição patrimonial do sócio que sair e retirará suas ações.

Isso aumentará o valor das ações existentes e todos os sócios descobrirão que suas posições patrimoniais são maiores, como resultado disso.

Em alguns casos, um ou mais sócios podem comprar a quota do sócio que saiu, caso em que apenas suas posições patrimoniais serão aumentadas.

Em pequenas empresas, onde existem apenas 2 sócios, por exemplo, o problema pode ser que nem a empresa nem o sócio restante esteja em posição de fazer a compra.

Nesse caso, o melhor a se fazer, talvez seja vender a parte do sócio que está saindo do negócio a um novo sócio, ou investidor.

Preparando a dissolução da sociedade

Para preparar a dissolução da sociedade, ou a saída de sócios, os sócios precisam realizar algumas tarefas.

Devem, inicialmente, ter preparado, uma avaliação feita por um profissional designado pelas partes.

Se as partes não chegarem a um acordo sobre quem será o responsável, cada sócio apresentará um profissional para realizar sua avaliação sobre o negócio.

Assim, a média das avaliações prevalecerá como o valor da empresa no momento.

As partes usarão ainda, esses mesmos profissionais para determinar o valor da venda.

Nesse momento, é preciso considerar a reserva de caixa necessária para a empresa continuar operando (estoque, pessoal, despesas e etc.).

A ausência de um sócio, por exemplo, pode implicar a contratação de outra pessoa para ocupar o seu lugar, e isso preciso ser levado em conta.

Ou, em muitos casos, você vai ter que buscar um investidor, se não tiver dinheiro para comprar a parte do seu sócio nesse momento.

Se esse for o caso, recomendamos que você tenha um plano de negócios, para tornar o seu negócio interessante para quem tem potencial de compra-lo.

Em qualquer situação acima, o que você precisa entender é que há uma saída saudável.

Seja comprando a parte do seu sócio, buscando um investidor, ou contratando pessoas para substituí-lo após a sua saída, o importante é que o negócio não pode se desfazer.

O fim de uma sociedade faz parte da sociedade

Você não será o primeiro, nem o último empresário que teve problemas com sociedade.

Muitas sociedades acabam quando os negócios estão decolando, ou quando parece que as dificuldades já ficaram para trás.

Dissolver uma sociedade é algo completamente normal. E nesse momento, qual é a solução?

Antes de mais nada, ter cabeça fria; entender situação do outro lado; buscar uma saída honrosa para ambas as partes, preservando o negócio e seguir adiante.

Mesmo que você queira se lamentar sobre o fim da sua sociedade e queira reclamar sobre como era bom ter um sócio ao seu lado, encare a realidade, pense em como sair do problema e manter o seu negócio vivo.

Assim, você poderá focar na solução do problema: manter o seu negócio funcionando e permitir que seu sócio insatisfeito se desligue da sua empresa.

Feito isso, você estará pronto para seguir adiante, com o seu negócio funcionando em uma outra sociedade, ou até mesmo sozinho.

Enrico Cardoso Quando um sócio quer acabar com a sociedade.