Gestão Financeira Para Pequenas Empresas

Dicas essenciais de gestão financeira para pequenas empresas

Dicas essenciais de gestão financeira para pequenas empresas
5 (100%) 13 votes

Que tal aprender um pouco mais sobre gestão financeira para pequenas empresas? Nós temos algumas dicas que irão ajudar o seu negócio a não perder as rédeas

Administrar uma pequena empresa não é um desafio fácil. Por isso, é preciso saber um pouco sobre gestão financeira para pequenas empresas.

Todo empresário à frente de uma pequena empresa tem a impressão de que há um fluxo interminável de problemas para lidar e tarefas administrativas a serem atendidas.

No entanto, há um caminho através do nevoeiro que pode assombrar os empresários que acham que sabem o que precisa ser feito.

Por outro lado, manter o lado financeiro pode ser mais complicado do que parece.

Geralmente, empresários não possuem experiência financeira, nunca trabalharam com empresas de contabilidade antes, e cometem erros ao longo do caminho.

Por isso, selecionamos algumas dicas de gestão financeira para pequenas empresas que irão ajudar você a navegar as águas financeiras complicadas para que sua empresa possa prosperar.

#1. Crie um orçamento realista

Orçamentos dentro de uma empresa são muitas vezes tratados como uma tarefa desnecessária e sem importância.

Essa é uma armadilha que muitos empresários acabam caindo.

Assim como um plano de negócios que só é bom no papel até o seu negócio sair do zero, um orçamento, pelo menos, estabelece que o plano financeiro está avançando.

O orçamento age como uma mão orientadora em vez de bloquear o empresário em certas decisões ao longo do tempo.

Um orçamento também pode indicar com mais clareza se os níveis de renda projetados serão suficientes para lidar com os planos ambiciosos de expansão do negócio.

Isso pode então, ressaltar, se o marketing precisa ser intensificado, ou se os planos de expansão precisam ser reduzidos caso as vendas não deem suporte ao seu nível de gastos.

#2. Pegue leve nos gastos

Embora possa ser tentador comprar um carro elegante, ou equipar a sua empresa com o que há de mais recente em mobiliário e tecnologia, um dos maiores erros que uma pequena empresa pode cometer é gastar demais nos primeiros anos.

O excesso de gastos além dos números esperados pelo orçamento pode criar um déficit em que o seu fluxo de caixa pode ser insuficiente para lidar.

Linhas de crédito podem ainda, não estarem disponíveis em seu banco com taxas amigáveis e, de repente, o negócio está em uma crise financeira.

Estabeleça um salário a si mesmo e aprenda a viver com ele.

Se a empresa obtiver um lucro razoável, considere retirar dividendos e distribuir uma parcela dos lucros enquanto reinveste o resto para possibilitar o crescimento futuro do seu negócio.

#3. Um lugar para tudo, e tudo no seu lugar

Você sabe onde estão localizadas todas as suas faturas, notas de crédito, extratos bancários e outros documentos financeiros? Estão faltando?

Os registros perdidos ou incompletos sobre suas finanças podem criar um grande problema.

Registros informatizados garantem que, se as instalações comerciais sofrerem um incêndio durante a noite, seus registros não serão perdidos se houverem backups em outros dispositivos, ou na nuvem.

Você pode fazer uma pesquisa rápida sobre gestão financeira para pequenas empresas e descobrir muitas ferramentas úteis.

Gestão Financeira Para Pequenas Empresas

 

#4. Gerencie dívidas de forma eficaz

Quando empresas usam financiamento para crescer, essa dívida precisa ser bem gerenciada.

O gerenciamento de dívidas empresariais é algo que precisa ser devidamente compreendido.

O empresário precisa conhecer as diferentes opções de financiamento disponíveis para pequenas empresas e o quanto elas irão custar ao caixa da empresa.

#5. Mantenha seu negócio separado de suas contas pessoais

Pode ser tentador, especialmente para os novos empresários, não se preocupar em manter os registros separados entre as finanças pessoais e empresariais.

Embora isso possa parecer uma maneira simplista e simples de lidar com as coisas, pode criar uma bagunça confusa, além de trazer problemas futuros em seu fluxo de caixa, impostos e outras dores de cabeça.

Além disso, você precisa saber, e já deve ter ouvido por aí, que não devemos misturar as coisas, uma vez que pode ser uma ilusão administrar suas finanças pessoais com o dinheiro da empresa.

#6. Tenha uma operação enxuta

Custos fixos representam aquelas coisas que não podem ser evitadas em uma empresa.

Por exemplo, algumas empresas decidem comprar o prédio em que operam.

Mesmo que haja dinheiro para isso, muitas vezes elas utilizam dinheiro que deveria ser mantido como fluxo de caixa.

Em outros momentos, essa decisão pode demandar um financiamento para complementar a verba necessária para a compra.

Esse tipo de decisão, uma vez que tomada, não pode ser voltada atrás. E por isso, precisa ser considerada com muita calma, prevendo diversos cenários possíveis.

Mantenha seus custos os menores possíveis, evitando o máximo de despesas em seu capital.

Você precisa de computadores mais rápidos ou deve atualizar suas máquinas a cada 2 anos? Seus funcionários precisam viajar para reuniões de filial, ou podem se encontrar via Skype?

Não espere que crises ou tempos difíceis façam com que você comece a reduzir despesas. Quando mais tarde, pior para o seu negócio.

Sempre administre suas despesas para que haja flexibilidade e possibilidades de apertar os cintos, principalmente quando a economia não for bem.

#7. Não aumente seu gasto com pessoal rápido demais

Funcionários fazem bem aos negócios, mas aumentam rapidamente os custos de seus negócios.

Existe o salario, os impostos, os postos de trabalho, dentre outros custos.

Os custos indiretos de cada funcionário podem realmente exceder o salário e comprometer parte do seu caixa.

Caso seja necessário ampliar, considere a terceirização, para evitar alguns desses custos associados.

Você pode optar, nesses casos, por pagamentos por hora ou tarefa. Profissionais freelancers também podem ser uma boa opção, uma vez que representam menos custos do que um funcionário.

Gestão Financeira Para Pequenas Empresas

#8. Mantenha rédeas curtas nos recebíveis

Certifique-se de que, à medida que o seu negócio se expande, as contas a receber não sejam um problema.

No mínimo, tenha cuidado para garantir que o número médio de dias em que as faturas fiquem pendentes não cresçam com o tempo, juntamente com o seu negócio.

Mantenha um olho no contas a pagar e certifique-se de que esteja tudo sob controle.

Nenhuma empresa quer ter dívidas incobráveis porque os clientes tiveram problemas financeiros que respingaram em você.

Siga nossas dicas de gestão financeira para pequenas empresas

Gerenciar as finanças de um negócio requer disciplina, sistemas e controles, e o desejo de gerenciá-los bem.

Afinal, tudo começa com a força de vontade e busca de conhecimento.

Sabemos que, em uma pequena empresa, geralmente o empresário está por trás de diversas áreas e, por conta disso, assume diversas responsabilidades.

No meio disso tudo, pode ser que você procure por crédito para empresas. Manter o seu financeiro em dia, vai auxiliar, inclusive que você saiba como contratar crédito, quando precisar.

O caminho pode ser difícil. Mas, aos poucos, você vai perceber que a gestão financeira para pequenas empresas não é um bicho de 7 cabeças.

Enrico Cardoso Dicas essenciais de gestão financeira para pequenas empresas