Começo de ano

Despesas de início do ano: como se programar?

Despesas de início do ano: como se programar?
5 (100%) 51 votes

Você já está se preparando para as despesas de início de ano? Se ainda não pensou nisso, está na hora de pensar!

Estamos nos aproximando do fim do ano e, para ajudar você a manter seu caixa sob controle, vamos falar já sobre as despesas de início do ano.

O ano começa e, com ele, muitos gastos também se chegam.

É justamente nesse momento que, muitos empresários se descontrolam e acabam colocando os pés pelas mãos.

Mas, mais uma vez, o planejamento é a chave de tudo. E ele vai ajudar você a transformar o pesadelo do começo do ano em algo muito mais simples de lidar.

Se as despesas de início de ano são um pesadelo para você, não se desespere. Nós trouxemos algumas dicas que podem ajudá-lo a tornar essas contas um peso a menos no seu orçamento.

É claro que, não há nenhuma mágica nisso. Mas, com um pouco de planejamento, você pode ver uma luz no fim do túnel e diminuir o peso dessas contas.

#1. Identifique as despesas antecipadamente

O que acontece normalmente com algumas empresas é que, na maioria das vezes, as despesas não são provisionadas com antecedência.

E, justamente por esse motivo, elas acabam causando uma enorme surpresa quando chegam, principalmente porque, em alguns segmentos, o mês de janeiro pode não ser assim tão bom em vendas.

Por isso, a primeira coisa que você deve e tem que fazer quando falamos em despesas de início de ano é identifica-las.

Saber o que você tem que pagar vai ajudar muito. E por isso, listamos algumas delas:

  • IPTU: se você tem um escritório físico, vai ter que pagar IPTU no começo do ano. Normalmente, descontos para pagamento à vista podem ser vantajosos quando você tem mais de 1 despesa para pagar;
  • IPVA: se a sua empresa tem carro ou frota, esse pode ser um imposto significativo para pagar logo no começo do ano. Diferente do licenciamento, que tem meses diferentes de vencimento de acordo com o final da sua placa, o IPVA vence independente do número de carros que você tem, a partir de janeiro;
  • Seguros: janeiro pode ser a data de renovação de alguns seguros, como o seguro do imóvel do seu escritório. É importante saber quando ele vence para que não seja uma surpresa no seu orçamento;
  • Aluguel: se a sua empresa fica em um imóvel alugado, janeiro também pode ser o mês de aumento do seu aluguel. Dê uma olhada no seu contrato de aluguel para saber qual é o índice de reajuste dessa conta para que você possa se planejar.

Sabendo dessas despesas extras que você pode ter no começo do ano, você pode se planejar para pagá-las da melhor forma possível.

#2. Tenha metas de vendas realistas em janeiro

Da mesma forma que você pode se planejar para as despesas que virão em janeiro, você também pode – e deve – se planejar para o que vai vender em janeiro.

Apesar de ser uma época em que muitos mercados têm uma baixa de vendas, é importante que você ofereça incentivos para fomentar suas vendas.

É justamente em janeiro que muitas empresas oferecem descontos, queima de estoques e promoções, baseadas e pensadas justamente para garantir as vendas em um período de ressaca, já que as pessoas gastaram mais do que deveriam no fim de ano.

Uma dica importante é pegar suas vendas de janeiro de 2019 e aplicar um aumento referente à inflação do ano para chegar à meta de janeiro de 2020.

Ou, se você já fez uma atualização de preços em sua tabela, aplicar o percentual de crescimento que a sua empresa teve entre janeiro de 2018 e janeiro de 2019 para definir o tamanho da meta de janeiro de 2020.

Dessa forma, com esse número em mãos, você pode criar campanhas de incentivo para vender em janeiro.

#3. Planeje a antecipação de recebíveis

Sim! A antecipação de recebíveis pode ser uma excelente alternativa para você se planejar para as despesas de início de ano.

Entenda o motivo.

Normalmente, dezembro é uma época com bom volume de vendas para muitas empresas, e com isso elas aumentam seu faturamento e batem recorde de vendas.

Porém, com recebimentos a prazo, é possível que muito desse dinheiro passe desapercebidamente pelo caixa da sua empresa.

Dito isso, a antecipação pode ser uma grande alternativa.

Com ela, você pode adiantar em janeiro, por exemplo, os valores que você vendeu a prazo e talvez só receba no fim do primeiro trimestre de 2020.

Com a antecipação de recebíveis você pode aumentar o caixa da sua empresa e não ter problemas para quitar as contas que chegarão no começo do ano.

Agora que você já sabe o que fazer para vencer as despesas de início do ano, não se desespere!

Hoje, mostramos para você que as despesas de início de ano podem ser uma dor de cabeça para empresas que não se planejam adequadamente.

Mas, mostramos como você pode estar preparado – e com dinheiro em caixa – para não sofrer com essas contas.

O primeiro passo é listar os extras que virão com o início do ano. É importante você saber quantas contas tem que pagar e quanto elas representam.

Ao saber a quantidade de contas que você terá que pagar no início do ano e o valor delas, você pode decidir quais parcelar e quais pagar à vista.

Feito isso, planeje também sua meta de vendas para janeiro. É importante que, em janeiro, você planeje campanhas de vendas que auxiliem sua empresa a continuar vendendo.

Por fim, você pode também optar pela antecipação de recebíveis para dar uma injeção de dinheiro no seu caixa e não precisar recorrer a empréstimos e financiamentos para arcar com essas despesas.

Feito isso, vai ser muito mais fácil, e menos doloroso, se planejar para pagar as despesas de início de ano sem traumas.

Enrico Cardoso Despesas de início do ano: como se programar?