O que é cobrança jurídica ou cobrança em juízo?

O que é cobrança jurídica ou cobrança em juízo?
5 (100%) 36 votes

Já ouviu falar em cobrança jurídica? Vamos explicar um pouco mais sobre essa cobrança e como ela pode ajudar sua empresa

A cobrança jurídica acontece quando todas as vias de negociação e tentativas de recebimento são esgotadas.

Sabemos que nos dias de hoje, devido a inúmeros fatores, que podem ser justificados desde problemas econômicos ou caráter, a inadimplência é uma realidade dentro das empresas.

Poucas são as empresas que experimentam um índice de inadimplência zero, pois a maioria dos negócios sempre tem percentual de não pagamento.

Algumas empresas, inclusive, incluem uma taxa de inadimplência na sua formulação de preços.

O contra nesta essa tratativa é que algumas vezes, o bom cliente acaba pagando pelo mau cliente.

Mas, esse não é o assunto deste artigo. O papo hoje é sobre a cobrança jurídica, ou cobrança em juízo.

Se você já esgotou todas as tratativas e tentativas de negociar um débito vencido com um cliente e não teve sucesso, a via judicial pode ser sua única alternativa.

O que é a cobrança jurídica?

Como o próprio nome já diz, uma cobrança jurídica é aquela em que as empresas acionam o judiciário visando o recebimento do crédito da dívida.

Existem diferentes tipos de cobrança. Sendo que é a forma com que a dívida foi gerada, bem como a documentação que formaliza a dívida, que determinarão o melhor tipo de ação imposta contra o devedor.

Com as modificações que o Novo Código de Processo Civil trouxe às relações, a tendência para que as soluções de conflitos sejam amigáveis se tornou mais evidente.

Com isso, a via amigável, também conhecida como administrativa, é uma das modalidades de solução de conflitos mais procuradas para recuperação de passivos.

No entanto, nem sempre ela é eficaz. Nesses casos, aplica-se a cobrança jurídica.

Dentro das possibilidades da cobrança jurídica, ela pode assumir algumas ações com procedimentos e prazos diferentes.

Não é nosso intuito detalhar quais ações podem ser propostas para a cobrança jurídica.

O melhor profissional para orientar você sobre qual é o melhor caminho a seguir é um advogado.

Até porque, cada modalidade de ação precisa cumprir determinados requisitos.

Apenas para efeitos de curiosidade, aqui estão as principais formas de cobrança jurídica:

  1. Ação de execução de título extrajudicial;
  2. Ação monitória;
  3. Ação de cobrança com procedimento comum;
  4. Ação judicial de falência.

Como dissemos acima, a melhor pessoa para orientá-lo sobre qual é o caminho mais assertivo para garantir o recebimento da sua dívida é o advogado.

Quais são as vantagens da cobrança jurídica?

O processo de cobrança judicial, em alguns casos, pode até ser rápido. Isso dependerá de cada situação.

Geralmente, o devedor adota medidas para que o débito seja quitado a fim de evitar que não tenha seus bens ou sua renda penhorada judicialmente.

Por exemplo, no caso da execução de título extrajudicial, o processo pode durar menos de 2 meses após as partes serem devidamente citadas.

Essa situação torna-se ainda mais crítica se pensarmos que o fato de uma empresa figurar em um processo judicial gera má reputação, o que pode, inclusive, causar queda no faturamento e a diminuição do ativo da sociedade.

Portanto, a pessoa jurídica precisa zelar pelo seu nome e imagem.

Desvantagens da cobrança jurídica

Nem tudo são flores quando falamos em cobrança jurídica, obviamente.

A cobrança jurídica costuma ter características de maior onerosidade, já que envolve diversos tipos de gastos, tantos judiciais, como gastos com honorários advocatícios.

Além disso, os riscos de prescrição de dívida são reduzidos devido ao prazo para entrar com uma ação.

Podemos citar, por exemplo, um cheque ou promissória que, geralmente, tem 3 anos de prazo para cobrança.

Ele também prescreverá se a cobrança ajuizada ficar arquivada por mais de 5 anos.

A dica é: se você quiser que a cobrança judicial faça parte do seu processo de cobrança, coloque um prazo para as tratativas administrativas e, inicie a cobrança jurídica logo na sequência.

Agora que você já conheceu um pouco mais sobre a cobrança jurídica, já sabe como ela pode ajudar você a receber de clientes inadimplentes

Hoje falamos um pouco mais sobre a cobrança jurídica, aquela feita na esfera judicial.

Se você tem problemas recorrentes com inadimplência, deve saber o quanto isso custa à sua empresa.

Chega um momento em que as tentativas administrativas de cobrança já não surtem mais efeito, o que faz com que muitas empresas pensem que jamais irão recuperar o valor perdido.

Nesse momento, a cobrança jurídica pode ser uma alternativa para que você receba.

Se você quer implementar a cobrança jurídica na sua empresa, inicialmente, precisa seguir 2 passos:

  1. Incluir um prazo para as tratativas administrativas;
  2. Ter um advogado para dar entrada nas cobranças jurídicas.

Esses passos são indispensáveis para que você tenha êxito nessa modalidade de cobrança.

Primeiro, porque se você demorar demais na cobrança administrativa, o seu título pode acabar vencendo.

Segundo, porque o advogado é profissional competente para encontrar o melhor caminho judicial para propor a ação de cobrança jurídica.

Agora que você já aprendeu sobre a cobrança jurídica, já sabe que ela pode ajudar você a reduzir a inadimplência da sua empresa.

Enrico Cardoso O que é cobrança jurídica ou cobrança em juízo?